normal

Pessoas em situação de rua estão conseguindo mudar de vida em Vitória

Vitória das oportunidades! O usuário do Centro de Referência para Pessoa em Situação de Rua (Centro Pop), Ronald Talles, de 28 anos, saiu cedo do espaço em busca de uma oportunidade dentre as vagas ofertadas pelo Feirão de Empregos, promovido pela Prefeitura de Vitória, por meio da Secretaria de Cidadania, Direitos Humanos e Trabalho (Semcid), nessa segunda quinzena de fevereiro.

Em situação de rua há oito meses, depois de perder o emprego e deixar a casa da mãe, Ronald contou que viu no Feirão de Empregos a oportunidade de mudar a trajetória de sua vida. Ele revelou que já saiu do Centro Pop focado para agarrar a primeira oportunidade real que apareceu desde que ficou desempregado.

“Vim para cá (Casa do Cidadão) animado. Sabia que tinha 90% de chance de não ser contratado, mas, me apeguei aos 10%. Fui ousado na entrevista. Falei da minha vontade de mudar de vida. Não estava preocupado com o cargo. Eu queria um emprego”, contou. Ao ser questionado se a estratégia deu certo, ele mostrou o encaminhamento para o exame médico – que é a última etapa para a efetivação do emprego, como operador de carga e descarga.

Ronald revelou seu grande medo na vida. “Não quero ser aquele tipo de pessoa que chega aos 40, 50 ou 60 anos e dizem que ‘ele não deu pra nada na vida’. Quero ser exemplo. A vida de rua é um vício, mas eu quero ter um trabalho, ter uma casa. No Centro Pop eles dão apoio e suporte para essa mudança”, ressaltou ele.

Outro que saiu animado do Feirão de Empregos foi Bruno Oliveira. Para ele, a contratação para ser operador de carga e descarga foi o primeiro passo para voltar a sonhar. “Só tenho gratidão. Sonho em alugar uma casa. Um homem sem emprego não é nada. É bom chegar em casa depois de um dia de trabalho. Quero trabalhar, depois evoluir mais e ganhar melhor para construir uma família”, disse o jovem.

Bruno contou que já trabalhou como ajudante de pedreiro, mas estava há um mês em situação de rua, condição que chegou após discussões na casa dos pais.”Hoje, aceito qualquer trabalho. Estou abraçando qualquer oportunidade. Estou feliz por ter aproveitado e conseguido”, comentou ele.

Pessoas em situação de rua estão conseguindo mudar de vida em Vitória

O sonho do emprego, parece acompanhar grande maioria deles, como demonstrou Mateus de Jesus, de 59 anos, que na fila da entrevista exibia com orgulho seu número de atendimento. Ao ser perguntado o que estava buscando, Mateus foi direto: “Qualquer serviço que vier eu quero. Meu desejo é passar o aniversário de 60 anos trabalhando. Quero estar empregado no dia do meu aniversário (22 de abril)”, falou ele.

Sem emprego, moradia e família, Mateus passa as noites na Hospedagem Noturna e, as manhãs, no Centro Pop, ambos equipamentos da Semas. “Nesses espaços recebo alimentação, faço minha higiene, participo de oficinas e recebo atendimento psicossocial. Sou bem acompanhado, assistido. Mas quero viver com mais dignidade”, falou ele.

Ele citou que, por muito tempo, não tinha documentação, o que impedia qualquer tentativa de conseguir um emprego. “Graças ao Centro Pop consegui minha documentação e, hoje, estou aqui”, comemorou ele.

Ao todo, foram encaminhados 31 usuários do Centro Pop. Desse total , oito foram contratados.

Para a subsecretária de Proteção Social Especial, Carla Scardua, a oferta de empregos para pessoas em situação de rua é dar a eles a esperança de organizar suas vidas para superação da condição de rua.

O titular da Semcid, Diego Libardi, falou sobre o diferencial do Feirão de Empregos: a inclusão. “A negociação feita com o Grupo Carone foi extremamente significativa para tratar de uma política pública da cidade de Vitória. Dessa forma, conseguimos garantir vagas de emprego para pessoas que se encontram em situação de rua. Então, além das mil vagas ofertadas, 10% das vagas são para pessoas com deficiência. O Grupo Carone disponibilizou, voluntariamente, 2% de vagas para pessoas em situação de rua. Também serão ofertadas 2% de vagas para primeiro emprego, o que garante um início para aqueles que querem se inserir no mercado de trabalho”.

Diego também destacou a parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas). “A Semas também faz parte do projeto, auxiliando nos encaminhamentos, realizando a triagem dos candidatos, que também terão a oportunidade e garantia de utilizar os abrigos municipais por até três meses”.

A secretária de Assistência Social, Cintya Schulz, reafirmou sua posição de defesa da união de todas as políticas públicas para garantia de direitos. “A política pública de Assistência Social, sozinha, não dá conta de nenhum cidadão. Precisamos de todas as políticas públicas juntas no mesmo propósito”, enfatizou a secretária.

“A articulação entre Semas e Semcid com certeza ainda renderá muitos bons frutos, ficamos muito felizes com os resultados. As políticas públicas unidas mudam a vida das pessoas”, comemorou Cintya.

(DA REDAÇÃO \\ Gut Gutemberg)

(INF.\FONTE: Internet \\ Rosa Blackman)

(FT.\CRÉD.: Internet \\ Divulgação)