Design sem nome (5)

Cariacica investe mais de R$ 5 milhões em inovação tecnológica na Educação

A inovação a serviço de uma educação 5.0. Neste ano, a Prefeitura de Cariacica já investiu mais de R$ 5 milhões em recursos tecnológicos, como em 200 impressoras 3D, mesas digitais, computadores, além de laboratórios de robótica e de ciências. E as peças 3D vêm fazendo o maior sucesso na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Euvira Benedita Cardoso da Silva, em Nova Brasília.

Na unidade de ensino, as peças reproduzidas em pelo menos cinco impressoras 3D estão sendo utilizadas como ferramenta pedagógica em disciplinas como História, Matemática, Geografia até Ciências. Entre as peças estão formas geométricas, pirâmides, peças de xadrez e figuras e monumentos históricos.

A secretária de Educação de Cariacica, Luzian Belisario, destacou a aplicação dos recursos. “Os investimentos, que vão para além das impressoras 3D representam mais de R$ 5 milhões. É a tecnologia na Educação fazendo com que se torne real as imagens para um bom aprendizado. Tudo isso é muito importante para todas as disciplinas”, explicou.

 

 

“A importância de uma ferramenta nova como essa para o aprendizado é muito grande, já que ela pode se tornar um atrativo a mais para os alunos. Com as peças, eles podem interagir de uma forma mais concreta”,  destacou o diretor da Emef Euvira Benedita Cardoso da Silva, Ramon Vinicius Coutinho Ferreira.

 

 

A professora de História Marilsa de Fátima Vialli Barbosa já está utilizando o recurso em sala de aula. “A gente procura reproduzir as imagens do livro didático para que eles possam aprender, na prática, o que veem nos livros ou na Internet. É a tecnologia a serviço da educação contribuindo para o aprendizado do aluno”, declarou.

 

 

Os alunos, por sua vez, gostaram do novo recurso. “É muito bom para interação dos alunos com o objeto estudado. Todo mundo tem uma matéria que não é tão bom e isso vai ajudar para que possam prestar mais atenção e se interessar mais pelo assunto”, declarou Atílio Schiavon Biancardi dos Santos, de 12 anos, aluno do 7º ano.

 

 

“Eu gostei muito. É um pouquinho trabalhoso, mas é uma descontração na sala de sala. Dá para produzir esculturas e até organizar uma mostra cultural com as peças a serem reproduzidas nas impressoras 3D”, sugeriu Paula Fernanda da Silva Neves, de 12 anos, também do 7º ano.

A Emef Euvira Benedita possui 690 alunos, do 1º ao 9º anos, nos turnos vespertino e matutino.

(DA REDAÇÃO \\ Guth Gutemberg)

(INF.\FONTE: Vandique Magalhães \\ Divulgação)

(FT.\CRÉD.: Wagnner Zanon \\ Divulgação)